Os níveis de competência do nutricionista podem ter uma relação direta com a Nutrição Comportamental. Você já ouviu falar em SOP e SOPP? Estas são as siglas para Standards of Practice (SOP) e Standards of Professional Performance (SOPP) – ou padrões para prática e para performance profissional no cuidado nutricional.

Para você entender a origem, estas siglas foram criadas pela Academia de Nutrição e Dietética americana, publicadas originalmente em 2003 (incorporadas ao modelo e processo de cuidado)1, revisadas algumas vezes, sendo a última em 20172 . Além disso, há publicações específicas dirigidas à especialidades, como Public Health and Community Nutrition, Diabetes Care, Sports Nutrition, etc) 3-5

 

Quais as bases para os níveis de competência do nutricionista?

O SOP é composto por 4 padrões consistentes com o processo de cuidado nutricional e fluxo de trabalho para diferentes populações e regiões. E o SOOP coloca padrões que representam 6 domínios de performance profissional, sendo eles:

  1. qualidade da prática
  2. competência e prestação de contas
  3. prestação de serviços
  4. aplicação da pesquisa
  5. comunicação e aplicação de conhecimento
  6. uso e manejo de recursos.

Eles foram criados para promover um cuidado em serviço nutricional seguro, efetivo, eficiente e de qualidade, assim como facilitar as práticas baseadas em evidências e servir como um recurso de avaliação profissional.

Estes standards descrevem 3 níveis de prática ilustrados na imagem deste artigo:

  • nutricionista competente
  • proficiente
  • expert

O modelo de níveis de proficiência foi descrito por Dreyfus em 19866, envolvendo: a) o novato, b) o iniciante avançado, c) o competente, d) o proficiente, e) e o expert – isso durante a aquisição e desenvolvimento de conhecimento e habilidades.

Os primeiros 2 níveis são componentes que precisam de educação didática no caso do novato; e de experiência prática supervisionada no caso do iniciante avançado – que precedem credenciais para a prática de nutrição.

Quando se tem as credenciais profissionais – no contexto Brasil, diploma universitário e CRN ativo – um nutricionista entra na prática no nível competente e maneja o seu desenvolvimento profissional para alcançar suas metas profissionais.

Esse modelo é útil para entender os níveis de prática descritos no SOP e no SOPP.

Os 3 níveis de competência do nutricionista: competente, proficiente e expert

Portanto, na nutrição, quais seriam os níveis de competência do nutricionista?

Primeiramente, o profissional de nível competente é aquele que começou a sua prática depois de ter o seu CRN ou um nutricionista experiente que está transitando de uma área para outra. Uma área de foco na nutrição é definida como uma prática que pede conhecimento específico, habilidades e experiência que se aplicam a todos os níveis de prática. Portanto, um nutricionista competente que tem a suas credenciais e está começando a sua carreira pode oferecer serviços consistentes e seguros usando conhecimento e habilidades apropriados e deve idealmente adquirir mais habilidades e se engajar em educação continuada.

Em segundo lugar, o nutricionista proficiente é aquele que tem geralmente 3 anos ou mais de profissão e prática e que tem oferecido consistentemente um serviço seguro e confiável, que obteve performance operacional e habilidades na sua área. O proficiente demonstra conhecimentos e habilidades adicionais, e experiência numa área específica de nutrição.

Por fim, o profissional no nível expert é aquele que é reconhecido por alcançar os mais altos graus de habilidades e conhecimentos em nutrição. Isso pode ser obtido por meio de avaliação crítica de sua prática e feedback dos outros. Mas o nutricionista nesse nível buscou conhecimentos e experiências adicionais além de treinamento. Sendo assim o expet tem habilidade de rapidamente identificar o que está acontecendo, assim como a capacidade de abordar a situação. Além disso, eles facilmente usam as habilidades de nutrição para ter sucesso demonstrando uma prática de qualidade e liderança, e consideram novas oportunidades para construir sua carreira em Nutrição. Ou seja, um profissional neste nível pode ter um papel de especialista e credenciais extras, e também tem um alto grau de autonomia e responsabilidade.

Qual a relação da Nutrição Comportamental com as competências do nutricionista expert?

Sendo assim, o nutricionista EXPERT é com certeza aquele que foca o comportamento alimentar, indo além do que se come (consumo alimentar) e das prescrições fechadas e dietas restritivas. Ou seja, ele entende que o comportamento tem antecedentes, consequências e diversos determinantes. O profissional expert trabalha com o paciente algumas variantes além de “o que se come”, tais como: onde, como, com quem, com o que, porque se come.

Em conclusão, este profissional entende que o mundo mudou e está em constante transformação, o que inclui mudanças na nossa alimentação, e também na ciência e na carreira da Nutrição. Já percebeu que a faculdade não dá tudo o que precisamos, que é preciso buscar conhecimento complementar, e mais do que isto, é preciso desenvolver habilidades.

Por isso, nosso compromisso como Instituto NC é justamente auxiliar na formação de proficientes e EXPERTS, profissionais que integram conhecimentos das ciências sociais e psicologia às suas bases classicamente biológicas. E assim ampliando o conhecimento de profissionais em temas não ensinados classicamente na graduação, e auxiliando na aquisição de habilidades e competências. É por esta razão que nossa Capacitação em Nutrição Comportamental, nome que adotamos agora para nosso curso online com duração de 1 ano de duração, oferece esta formação  teórico-prática, com fundamentação científica da Ciência do Comportamento Alimentar. E  também inclui uma preparação para lidar com os modismos e confusões promovidos por não experts. Isso tudo por meio da experiência acumulada de nossos professores, uso de ferramentas, estudos de caso, etc.

Vamos ampliar o número de experts em nossa área!

Autor

Artigo elaborador por Dra. Marle Alvarenga, PhD. Idealizador do Instituto Nutrição Comportamental.

REFERÊNCIAS

  1. Lacey, K., & Pritchett, E. (2003). Nutrition care process and model: ADA adopts road map to quality care and outcomes management. Journal of the American Dietetic Association103(8), 1061-1072.
  2. Andersen, D., Baird, S., Bates, T., Chapel, D. L., Cline, A. D., Ganesh, S. N., … & McCauley, S. M. (2018). Academy of nutrition and dietetics: Revised 2017 standards of practice in nutrition care and standards of professional performance for registered dietitian nutritionists. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics118(1), 132-140.

 

  1. Bruening, M., Udarbe, A. Z., Jimenez, E. Y., Crowley, P. S., Fredericks, D. C., & Hall, L. A. E. (2015). Academy of Nutrition and Dietetics: Standards of practice and standards of professional performance for Registered Dietitian Nutritionists (competent, proficient, and expert) in public health and community nutrition. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics115(10), 1699-1709.

 

  1. Davidson, P., Ross, T., & Castor, C. (2018). Academy of Nutrition and Dietetics: Revised 2017 standards of practice and standards of professional performance for registered dietitian nutritionists (competent, proficient, and expert) in diabetes care. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics118(5), 932-946.

 

  1. Steinmuller, P. L., Kruskall, L. J., Karpinski, C. A., Manore, M. M., Macedonio, M. A., & Meyer, N. L. (2014). Academy of nutrition and dietetics: revised 2014 standards of practice and standards of professional performance for registered dietitian nutritionists (competent, proficient, and expert) in sports nutrition and dietetics. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics114(4), 631-641.

 

  1. Hl, D., & Dreyfus, S. E. (1986). Mind over machine: the power of human intuition and expertise in the era of the computer. New York Free Pr, 1-51.

Leave a Reply

× Como posso te ajudar?