Os termos alimentação ou nutrição são usados muitas vezes como sinônimos, e mesmo nutricionistas tem muitas vezes dificuldade em diferenciá-los de forma adequada. Mas, o que é mais importante, Alimentação ou Nutrição?

Claro que nós, nutricionistas, defendemos nossa ciência e profissão. Mas é preciso lembrar que enquanto a alimentação envolve as relações humanas mediadas pela comida, com seus aspectos culturais (rituais, tipos específicos de consumo, diferentes modos de produção…), a Nutrição é uma ciência da modernidade. E segundo alguns autores a Nutrição pode até pode ser pensada como um “processo histórico de racionalização científica do comer e do alimentar-se”.

Mas a alimentação não serve para nos Nutrir?

Claro, mas isto é apenas o foco biológico da alimentação. A Nutrição é ato inconsciente e involuntário. Ou seja, não posso decidir como os nutrientes vão funcionar em meus processos metabólicos, isto é dado. Por outro lado a alimentação é um ato consciente e voluntário. Com a Nutrição eu posso avaliar parte de um estado de saúde, mas a alimentação é uma criação histórico-cultural através da qual se pode estudar e compreender toda uma sociedade.

Mas sem uma boa Nutrição, não ficaremos doentes?

Sim, no entanto o objetivo do comer não é apenas manter e promover a saúde. Para ter nutrientes, precisamos comer, e aí estão envolvidos muitos aspectos. Saúde de qualquer forma precisa ser pensada também de forma mais ampla: não apenas física, mas também emocional, espiritual, social e mental.

Então alimento e comida também são diferentes?

Com certeza são diferentes. Alimento é tudo aquilo que nosso corpo pode usar para manutenção, formação e desenvolvimento de nosso corpo. “Comida é o alimento simbolizado”.

Nós, seres humanos, comemos comida, não nutrientes; nós comemos os alimentos que elegemos como comestíveis. Comidas têm histórias sociais, econômicas, simbólicas e complexas, e só elas (não alimentos)
tem papel na formação de identidade pessoal e familiar. Alimento é tudo que é biologicamente ingerível, mas “nem tudo que é biologicamente ingerível é culturalmente comestível”.

Alimentação e Nutrição: o que valorizamos mais ?

Precisamos então na Nutrição valorizar mais a alimentação com seus aspectos históricos, socioantropológicos, culturais, emocionais. Seres humanos não apenas se nutrem, mas também significam e compartilham representações. Nutricionistas precisam ampliar seu escopo para além de calorias, nutrientes e cálculos.

Que o alimento venha sempre antes do nutriente, que o ser humano venha sempre antes do corpo humano …💚🧡

Autor:

Dra. Marle Alvarenga

REFERÊNCIAS:

CARVALHO, M.C.V.S.; LUZ, M.T.; PRADO, S.D. Comer, alimentar e nutrir: categorias analíticas instrumentais no campo da pesquisa científica. Cienc Saud Coletiva, v.16, n.1, p.155-163, 2011.
ZUIN, L.F.S.; ZUIN, P.B. Alimentação é cultura: aspectos históricos e culturais que envolvem a alimentação e o ato de se alimentar. Nutrire Rev Soc Bras Alim Nutr, v. 34, p.225-241, 2009.
CANESQUI, A.M.; DIEZ-GARCIA, R.W. Uma introdução à reflexão sobre a abordagem sociocultural da alimentação. In: CANESQUI, A.M.; DIEZ-GARCIA, R.W. Antropologia e nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005a. p.9-22.
KLOTZ, J.; PRADO, S.D.; CARVALHO, M.C.V.S.; ORNELAS, T.F.S.; OLIVEIRA, P.F. Alimentação e cultura como campo científico no Brasil. Physis, v.20, n.2, p.413-442, 2010.
Leme RJ. Saúde é consciência: medicina e saúde x medicina da doença.  São Paulo: Ciranda Cultural , 2012.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Leave a Reply

× Como posso te ajudar?