Ferramentas para trabalhar o comportamento alimentar – como o coaching pode ajudar?

No consultório da nutricionista, os desafios são enormes, quando o assunto é mudança. E por isso, as ferramentas para trabalhar o comportamento alimentar, como aquelas vindas do coaching de bem estar, podem ajudar e complementar o que trazemos em nutrição comportamental afim de traçar metas, entender prioridades e trabalhar a ambivalência.

 

Quando o coaching virou moda e nutricionistas começaram a se denominar “nutri coach”, fiquei assustada. Mas sempre que algo novo ou desconhecido surge, procuro ter um olhar curioso e estudar. Foi aí que busquei uma formação em “Welness Coach” para entender melhor. 

Lá entendi que o coach foi criado por tenistas e ampliado pelo mundo dos negócios, para gerar mais resultados e efetividade no desempenho e na gestão. E a partir disso, foi adaptado para várias áreas, incluindo a de saúde e bem estar, com foco em emagrecimento. Por isso, os estudos científicos com o processo de coaching ainda são poucos. É tudo muito recente.

 

Coaching e nutrição – qual a relação?

Sem dúvida, a adaptação realizada de forma pioneira para o universo do bem estar, por Margareth Moore, cujas bases estudei, é séria e foi além do coaching propriamente dito, incorporando conceitos de mindfulness (atenção plena), inquérito apreciativo, comunicação não-violenta, e da teoria cognitivo comportamental. 

No entanto, qualquer pessoa pode fazer a formação
em wellness coaching, cujo foco é centrado
em geral no emagrecimento. 

Opa! É aí que a Nutrição Comportamental, que já engloba todos estes conceitos do coaching e muito mais, se torna um diferencial para os nutricionistas, sendo um passo além. Isso porque engloba  teorias, práticas e modelos já validados por nutricionistas, como o “mindful eating” (comer com atenção plena), o comer intuitivo, o aconselhamento nutricional, a entrevista motivacional e a teoria cognitivo comportamental aplicada à nutrição. 

 

Ferramentas para trabalhar o comportamento alimentar

Entretanto, as ferramentas do coaching foram incorporadas e adaptadas para o universo da nutrição, por serem bastante didáticas, alinhadas com a abordagem NC e ótimas para trabalhar a ambivalência do paciente que deseja mudar, mas não encontra meios. 

A partir disso, trouxemos um capítulo sobre ferramentas de coaching
para a
nova edição do livro Nutrição Comportamental (NC),
e trouxemos um
curso online sobre a temática.

Por exemplo, a ferramenta da roda da vida, ou roda do bem estar, fala sobre pilares além da nutrição, como espiritualidade, finanças, relações amorosas e familiares, entre outros facetas da vida que podem limitar a mudança. Em NC, adaptamos com itens que mais interferem na alimentação e que podem até ser trabalhados em estágios mais iniciais do tratamento nutricional. 

Outra ferramenta de fácil e ótima aplicação inicial é o balanço decisório, levando o indivíduo a reflexão daquilo que ele quer mudar, e do que não enxerga tanta razão para mudar.

Afinal de contas, nps bem sabemos que todos somos ambivalentes em relação à mudança. Queremos treinar e ter o resultado de melhor funcionamento e estética corporal, entretanto muitas vezes preferimos o colchão quentinho. Com o balanço decisório levamos a um entendimento maior destes fatores e a prontidão para a mudanças. 

Para o trabalho de metas, a ferramenta do acrônimo  M.E.T. A.S ou do inglês S.M.A.R.T, que também advém do mundo dos negócios, é excelente para fazer o paciente enxergar o passo a passo de cada meta que é acordada. Tornando-a portanto 1) Mensurável 2) Específica 3) Temporal 4) Atingível  5) com Significado.

 

Como o coaching pode ajudar ?

Levar pessoas a entender o porquê de seu comportamento alimentar é um objetivo da Nutrição comportamental. As ferramentas de coaching, bem como das outras práticas que englobam a abordagem NC, nos trazem um melhor engajamento, reflexão do paciente e contribuem, portanto,  para este caminho de descoberta, de autoconhecimento e de mudança. 

Adaptamos várias outras ferramentas com este olhar integrado, bem como teorias do coaching que foram resignificadas em nosso curso. Vem com a gente! 

Porque não precisa ser nutri coach, seja  “ Nutricionista” e posicione seu trabalho de forma ética e moderna, englobando o conhecimento de Nutrição Comportamental. É mais específico para o seu trabalho como nutricionista e vai fazer mais sentido para o processo de mudança do seu paciente.

 

Cynthia Antonaccio 

Idealizadora do Nutrição Comportamental
Formada em Welness Coach
Autora do livro Mindful Eating, ed Abril.

Leave a Reply

×

Powered by WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?