Aconselhamento e entrevista motivacional para o terapeuta nutricional. Você já ouviu falar sobre? Nós defendemos a atuação do nutricionista como um terapeuta nutricional. E por que falamos isso? Porque se somos agentes de mudança de comportamento, e sim nutricionistas também tem esse papel, desde que se habilitem para tanto, precisamos atuar como guias do processo de mudança e não pra escritores de dietas fechadas.

A nutricionista Linda Snetelaar, professora da Universidade de Iowa que atualmente chefe editora do Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics ao escrever sobre aconselhamento nutricional em seu livro Nutrition counseling skills for the nutrition care process (1) diz que já em 1945 se discutia uma certa “psicologia da dieta e da nutrição” que recomendava o que não era convencional, incluindo: conhecer a personalidade e os arredores psicológicos do cliente,  eliminar atenção emocional, ajudar o cliente a conhecer suas limitações, e propor um plano alimentar que tem efeito encorajamento.


O aconselhamento foi proposto na verdade pelo psicólogo Carl Rogers em 1942 (2) – também desenvolvedor da Abordagem Centrada na Pessoa – com foco de ajudar as pessoas a clarificarem o seus próprios objetivos e construir em planos de ação.

Terapeuta nutricional: papel do nutricionista

Trazendo para o contexto da nutrição, se propõe que o terapeuta nutricional (do inglês nutricional counselor, e é por isso que usamos terapeuta pois conselheiro tem um tom estranho em português), converte a teoria em prática e a ciência em arte (1).

No entanto trabalhar com esse foco de ser um facilitador do processo, e não dono da verdade, exige uma série de habilidades especiais. Habilidades para lidar com a dinâmica da interação com as pessoas – as habilidades interpessoais – habilidades de comunicação (verbais e não verbais), e habilidades terapêuticas (3).

Estudar mais sobre o aconselhamento, e habilidades ajuda muito! E há várias publicações com este foco em Inglês (4-8). Uma estratégia que ajuda muito com estas habilidades é a Entrevista Motivacional.

 

Entrevista motivacional e a nutrição

A Entrevista Motivacional (EM) é uma estratégia proposta também por psicólogos (9), e é descrito como um método de comunicação, e de aconselhamento focado no indivíduo que ajuda a resolver a ambivalência em relação a mudança de comportamento, usando a motivação da pessoa.

Você já atendeu pacientes que voltam e dizem que não conseguiram fazer nada do que “deviam”? Que sabem o que precisam fazer mas não conseguem? Já se sentiu impotente e sem saber o que responder? A EM é a estratégia de escolha para lidar com estas situações!

A EM foca em aspectos do estilo e espírito do terapeuta que são essenciais para ajudar em um processo de mudança, nas habilidades que precisamos adquirir, e em estratégias para promover mudança

Os nutricionistas também começaram a se interessar pela técnica, e nos EUA têm se estudado a importância de incorporar a técnica na formação dos nutricionistas (10), que se treinados apresentam mais habilidades! (11). E já há publicações sobre a efetividade da EM no aconselhamento da mudança de comportamento alimentar (12) e por nutricionistas (13).

Nos já escrevemos textos antes sobre esta temática aqui no Blog, temos curso de extensão sobre EM, e agora oferecemos mais um, que é uma imersão transformadora usando EM para melhorar as habilidades de aconselhamento. Vem estudar conosco!

Referências 

  1. Snetselaar, L. G. (2009). Nutrition counseling skills for the nutrition care process. Jones & Bartlett Learning.
  2. Rogers, C. R., & Carmichael, L. (1942). Counseling and psychotherapy: Newer concepts in practice.
  3. Alvarenga MS, Dias NMA. Aconselhamento Nutricional na prática clínica. IN: Cuppari L. Nutrição Clínica no adulto. 15ª ED. Barueri: Manole, 2018. Pp 151-168.
  4. Snetselaar LG. Nutrition counseling skills – for medical nutrition therapy. Maryland: Aspen Publishers, 1997.
  5. Holli BB, Calabrese RJ. Communication and education skills: the dietitian’s guide. Philadelphia: Lea & Febiger, 1986.
  6. Kellog M. Counseling Tips for Nutrition Therapists. Philadelphia: KG Press, 2006.
  7. Curry KR, Jaffe A. Nutrition Counseling & Communication Skils. Philadelphia: WB Saunders Company, 1998.
  8. Bauer KD, Sokolik CA. Basic Nutrition Counseling Skill Development. Pacific Grove 
    CA: Brooks Cole, 2001.
  9. Miller, W. R., & Rollnick, S. (2012). Motivational interviewing: Helping people change. Guilford press.
  10. Smart, H., Clifford, D., & Morris, M. N. (2014). Nutrition students gain skills from motivational interviewing curriculum. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics114(11), 1712-1713.
  11. Simper, T. N., Breckon, J. D., & Kilner, K. (2017). Effectiveness of training final-year undergraduate nutritionists in motivational interviewing. Patient education and counseling100(10), 1898-1902.
  12. Thorpe, M. (2003). Motivational interviewing and dietary behavior change. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics103(2), 150.

Brug, J., Spikmans, F., Aartsen, C., Breedveld, B., Bes, R., & Fereira, I. (2007). Training dietitians in basic motivational interviewing skills results in changes in their counseling style and in lower saturated fat intakes in their patients. Journal of Nutrition Education and Behavior39(1), 8-12.

Leave a Reply

× Como posso te ajudar?