Somos seres que comemos e nos comunicamos o tempo todo, desde o primeiro olhar entre mãe e filho, a primeira mamada, o primeiro choro, a primeira papinha, as primeiras palavras, o primeiro prato, as primeiras frases e receitas que se transformam em mensagens, ideias e posicionamentos –  comer também é um ato politico! Mas será que relacionamos o que Nutrição e Comunicação tem em comum?

As comidas que também evoluem conosco, em sabores e texturas, nos proporcionam experiencias deliciosas, nos acompanham e nos mostram quem somos, de onde viemos e o que valorizamos! Afinal “você come o que você é”, termo tão bem cunhado pelo sociólogo francês Claude Fischler (e não você é o que você come, como as pessoas gostam de repetir a máxima antiga de Hipócrates).

Desde sempre somos estimulados a falar, a falar e a falar, mas muitas vezes não paramos para ouvir a nós mesmos, para nos conectar com a essência do que estamos repetindo. Quando eu era criança meu pai sempre dizia que tinha escolhido o nome errado, pois Samantha significa “ouvinte” e eu sempre falei pelos cotovelos, mas fui aprendendo com a maturidade e com algum estudo o quanto precisamos escutar para de fato poder compreender e então falar!

A verdade é que repetirmos ideias e frases, crenças e modismos como se fossem verdades absolutas. Muitas vezes mesmo sabendo o quanto essas crenças e modismos podem ser prejudiciais! Não temos a dimensão do impacto de nossas falas, em nós, no outro (pacientes e amigos), na sociedade, e do quanto isso impacta em quem somos e onde é nosso lugar no mundo, e não estou falando apenas no mundo da nutrição. 

Impacto de nossas falas

Você pensou em como você é visto, seja pela forma como você se comunica, se veste ou se comporta? O impacto da COMUNICAÇÃO precisa ser melhor considerado.

Na faculdade infelizmente não temos a comunicação como base, temos apenas o foco em uma nutrição técnica. Mas se desde o início da vida precisamos nos comunicar para nos conectar com o outro e com o mundo, por que aqui, no “nosso mundo da nutrição” seria diferente? E é por isso que aqui no Instituto Nutrição Comportamental acreditamos que a clinica e a comunicação devem andar lado a lado e são os nossos pilares!

Se falamos tanto sobre tudo e ainda mais sobre nutrição, fica evidente que essas duas áreas estão intimamente correlacionadas, não? E se você ainda não tem essa clareza, te convido a ler o capítulo 5 da 2º edição do nosso livro, “Nutrição Comportamental para uma comunicação responsável em saúde e nutrição”, no qual abordamos todos os aspectos para uma comunicação simples, mais positiva e inclusiva – e te digo que ela é tão possível quanto necessária! 

Considerando que para evoluirmos enquanto seres humanos precisamos aprender com o passado, com as nossas raízes e nossa história, precisamos SIM ter uma comunicação diferente, simples, eficiente, mas usando a modernidade e a tecnologia a nosso favor, claro! 

Quando nos comunicamos, nos conectamos com o mundo, com as pessoas, conseguimos passar a nossa essência, a nossa verdade, aprender a nos comunicar é então uma das bases para ser o profissional do futuro. Possivelmente precisamos, resgatar as nossas primeiras memórias e reaprender com elas!

Para nos livrar das palavras e mensagens repetidas que hoje não fazem mais sentido, usando novas palavras, novas formas, novas abordagens, novas tecnologias, focando na essência de quem somos, pessoal e profissionalmente, e conscientes do poder que nossas palavras têm – em nós e nos outros! 

Desafio de comunicação adequada em nutrição

Então convido você a um desafio, sim, mais um! E diante de tantos novos desafios, como incluir mais esse? Fique tranquilo que você terá muitas oportunidades para praticá-lo, vamos lá?

Tenha foco em mensagens positivas, consistentes e ponderadas, baseadas em estratégias comportamentais, ter o outro como foco de nossa fala, empatia e sempre lembrando de ativar a nossa escuta! 

Reestabelecer a comunicação, ser diferente e com isso mudar também a forma como o nutricionista é visto pela sociedade –  incrível como uma mudança simples, que começa em cada um de nós pode ter um impacto tão grande se somado, não é mesmo? 

Vamos fazer um exercício? Reveja sua comunicação, seus posts, faça uma avaliação do que falou na última consulta e procure praticar, mesmo que mentalmente um novo diálogo com seu paciente, aplicando as técnicas e exercícios da abordagem comportamental.

Se quiser dar um passo a mais, use os materiais Nutrição Comportamental by Menina Viva, as ferramentas que disponibilizamos em nosso canal do Telegram, o App Nutrição Comportamental e outros materiais para aprimorar sua comunicação! 

Ouse ir além, claro que com ciência e embasamento, mas faça diferente e faça a diferença na sua vida e da nos seus pacientes, é isso que acreditamos por aqui!

Este NOVO foco é essencial para cumprir o papel de informar, influenciar e estimular indivíduos na adesão de comportamentos alimentares saudáveis. Essa é a comunicação e a postura do profissional do que queremos para o futuro! Conectados, uns aos outros, ao mundo e aos nossos pacientes!

Especial por Samantha Macedo – Idealizadora Nutrição Comportamental

Leave a Reply

×

Powered by WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?