É muito comum que a psicologia  nos cursos de graduação da área da saúde, em especial da psicologia para nutricionistas, não estabeleça um elo real entre a psicologia e o contexto dos comportamentos alimentares de fato.

Por que isso ocorre?

Por mais que exista um grande esforço por parte dos psicólogos que dão essas aulas, a maioria não está envolvida com comportamento alimentar, sendo raríssimos os professores nutricionistas que dominam o assunto e de forma aplicada.

O resultado desta psicologia para nutricionistas?

Primeiro, você com certeza saiu frustrado vendo que todos hoje tem falado sobre isso de alguma forma.

Segundo, não compreende uma psicologia para nutrição que auxiliaria em sua atuação, independente da sua área.

E terceiro, se vê vulnerável aos muitos curiosos que passaram a falar sobre o tema comportamento alimentar.

 

Mas o que você jamais pode esquecer sobre esta psicologia para nutricionistas ?

A Nutrição lida com comportamentos alimentares, sendo a Psicologia a ciência que a rigor descreve e é especialista na mudança de comportamento – é dela que você também precisa se aproximar para gerar impactos reais nos comportamentos alimentares em seu trabalho com pessoas.

Portanto, apostar na Psicologia para nutricionistas é garantia de uma atuação ainda mais certeira.

⚠️Quais são portanto os conceitos infalíveis para compreender o comportamento alimentar na sua raiz? E por que apostar na psicologia para nutricionistas ?

Sobre as discussões acima e algumas respostas para estas perguntas deste subtítulo, sugiro que confira este artigo: clique aqui.

Para compreender o comportamento alimentar em sua raiz de maneira bastante alinhada a análise do comportamento (campo da psicologia), o comportamento precisa ser analisado como um bloco. Um grande evento composto por inúmeros outros pequenos eventos em movimento que se influenciam entre si.

Explico com base em Hogan J, 2015. Se você está comendo com seu chefe, não é só o tempo de jejum que lhe influencia no que será a quantidade que irá comer, mas toda uma circunstância:

  1. Os estímulos (ou gatilhos) presentes naquele contexto específico (ex. sem comer a 10 horas + self-service + chefe + colegas de trabalho + conversa sobre corpo pro verão);
  2. Sua percepção de todo o contexto ( visual, auditivo, olfativo, etc.);
  3. Todo o gerenciamento de seu sistema nervoso, captando e processando essas informações pelo cérebro;
  4. Também decorrente do sistema nervoso, as atividades (desde pensamentos à forma como você está comendo vista a olhos nus), que decorrem da circunstância com gatilhos ambientais e reforços (ou não) para seus comportamentos alimentares que no fim influenciam também a circunstância.

 

Interessante? Se você quer saber mais continue lendo esse texto para saber sobre por que você precisa apostar em uma psicologia para nutricionistas!

 

POR QUE VOCÊ PRECISA APOSTAR EM UMA PSICOLOGIA PARA NUTRICIONISTAS

A nutrição que considera comportamentos alimentares de fato não pode ser aquela que considera apenas o comer como consumo (ingestão) ou compra de comida.

Se restringir ao comportamento alimentar dessa forma simplista não vai te ajudar a facilitar processos de mudanças em comportamentos alimentares de forma duradoura.

Precisamos lembrar que o artigo 6º de nossos princípios fundamentais do código de ética do nutricionista destaca que a atenção nutricional passa pela consideração de aspectos psicoafetivos.

⚠️E não confunda! Nutricionista não lida com distúrbios psiquiátricos como transtorno de ansiedade e depressão, essas são atribuições de psiquiatras e psicólogos. O nutricionista lida com o comer, que precisa lidar com as relações entre comportamento e comida. É bem diferente.

Se posicionamentos e diretrizes  já apostam em uma psicologia para nutricionistas, porque você, que quer melhorar ainda mais sua atuação independente de sua área, não faria o mesmo?
Fica aqui um convite!

Autor:

Especial por César Moraes é nutricionista, mestre e doutorando pela USP. É professor de psicologia para graduação em Nutrição e cursos de pós graduação desde 2018. É especialista na psicologia aplicada à nutrição tem feito da junção entre essas áreas sua ferramenta para mudar a forma como alunos e pacientes enxergam a nutrição. 💚🧡

 

Referências:

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000100019

https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/resolucoes/Res_599_2018.html

https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S2212-2672(12)01993-4

https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S2212-2672(15)01636-6

Leave a Reply

×

Powered by WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?