Você, nutricionista, já começou a introduzir novas práticas como a meditação e a autocompaixão para enriquecer o seu atendimento nutricional?

Talvez você já tenha ouvido falar em compaixão. Mas provavelmente não é a mesma compaixão  que vamos falar aqui.  Não estou me referindo ao conceito espiritual associado a cultos religiosos e que pode ser facilmente confundido com “dó” ou “piedade”.E sim me refiro à uma prática, uma habilidade.

O que é a prática da compaixão ?

A compaixão é uma habilidade inata – e que vem sendo cada vez mais estudada pela ciência – de nos conectarmos com o sofrimento e podermos agir na tentativa de minimizá-lo ou mesmo saná-lo.  Adicional a isto, o melhor de tudo é que apesar de inata, essa habilidade pode ser treinada e cultivada.

De forma simples, compaixão é a habilidade que permite nos conectarmos com o sofrimento alheio e o desejo que surge em querer ajudar.

Como me disse uma vez uma professora de meditação, compaixão = empatia + ação.

E a habilidade da autocompaixão, como podemos definir?

A autocompaixão pode ser definida como essa mesma habilidade da compaixão direcionada a nós mesmos. É a possibilidade de reconhecermos nossos momentos de sofrimento e nos tratarmos da forma mais gentil possível, com o objetivo de reduzir a dor (física ou psíquica) pela qual estamos passando.

E não se confunda: ser gentil consigo mesmo não significa somente “ser bonzinho” e se acolher; gentileza é também validar e aceitar as próprias emoções, se autoencorajar. E também de estabelecer limites e ir em busca daquilo que faz sentido para si mesmo, ir em busca de objetivos e metas que estejam conectados com seus valores de vida.

Provavelmente você já deve ter percebido que o autoconhecimento é parte fundamental deste processo.

O que os estudos científicos falam sobre a prática da autocompaixão?

Estudos científicos já apontam uma série de benefícios do cultivo da autocompaixão em contextos clínicos, tanto para o paciente quanto para o profissional. São eles:

  • maior resiliência emocional;
  • aumento da motivação para mudança;
  • melhora da imagem corporal;
  • proteção contra burnout.

Como exercitar a prática da autocompaixão?

A forma mais eficaz é praticar a meditação. Existem inclusive práticas e protocolos específicos para o cultivo dessa habilidade, como o programa Mindful Self Compassion desenvolvido pelos psicólogos americanos Kristin Neff e Christopher Germer.

O livro “A ciência da meditação”, dos autores Daniel Goleman e Richard Davidson, trazem estudos que relacionam um total de sete horas de prática de meditação de compaixão, ao longo de duas semanas, com o aumento da conectividade em circuitos cerebrais relacionados à empatia e a emoções positivas.

E você, já meditou hoje?

Depois deste texto, talvez você queira aprender e começar a praticar. E, claro, trazer isso para o seu atendimento nutricional.


Autor:

Nutricionista Ana Carolina Costa.

Professora do Curso Mindful Eating do Instituto Nutrição Comportamental

Leave a Reply

Demo Slot Gate of Olympus Slot Demo Daftar Server kamboja Daftar Server thailand Daftar Server myanmar Daftar Server vietnam Daftar Server malaysia Daftar Server filipina Daftar Server jepang Daftar Server singapore Daftar Server spain Daftar Situs taiwan Daftar Situs thailand Daftar Situs malaysia Daftar Situs jepang Daftar Situs swiss Daftar Situs vietnam Daftar Situs singapore Daftar Situs peru Daftar Situs china Daftar Situs hongkong Daftar Server Luar Daftar Server Thailand Sbobet88 Daftar Server thailand Daftar Server jepang Daftar Server myanmar Daftar Server Thailand Mega Roulette Pragmatic Daftar Server Kamboja Daftar Server Malaysia Akun Pro Myanmar Akun Pro Jepang Akun Pro Rusia Situs Luar Negeri

Slot Server Luar Bocoran Slot Gacor Judi Bola Akun Pro Taiwan Situs Slot Dana Live Casino Indonesia Slot Server Thailand Kamboja Pay4d Situs Slot Gacor RTP Live Slot Akun Pro Kamboja akun pro kamboja Live Casino Online Bocoran Slot Gacor Akun WSO Slot