Quem já acompanhou o reality show “O Grande Perdedor” sabe que as estratégias para a perda de peso incluem principalmente dietas restritivas e exercícios pesados. Mas elas parecem ter muito sucesso, já que estudos que mostram que a maioria não só recupera o peso perdido, como chega a ganhar ainda mais.
É conhecido que minoria mantém a perda de peso; e que o efeito sanfona é prejudicial ao metabolismo no longo prazo. Então porque temos essa obsessão por ficarmos mais magros?
A pesquisadora Esther D. Rothblum explora essas questões em seu novo artigo de revisão publicado na Archives of Scientific Psychology1. Explicando o porquê as pessoas continuam insistindo em fazer dietas e os motivos que levam ao fracasso:
1) O balanço energético não é uma conta simples. Em poucos dias, o nosso metabolismo é capaz de se readaptar a uma nova ingestão energética, e assim o reganho de peso pode ser rápido. Isso explica o porquê a fórmula da dieta combinada com exercícios físicos nunca é suficiente para a perda de uma quantidade maior de peso.
2) O marketing feito pelos programas de perda de peso é cada vez mais atrativo, o que
acaba conquistando pessoas desesperadas para emagrecer.
3) A divulgação massiva da mídia representando a magreza como uma parte essencial da beleza, principalmente para as mulheres.
4) O envolvimento de profissionais de saúde em dietas da moda e programas de perda de peso, utilizando seus nomes para promover esses serviços sem a garantia da eficácia e de benefícios para a saúde.
5) O problema de definição da obesidade. O IMC, que é o mais utilizado, apresenta várias limitações e assim pessoas podem ser classificadas como obesas erroneamente.
6) A indústria da dieta que encoraja as pessoas a continuarem seguindo-a, não importa quão efetiva ela seja. Muitas das propostas acabam não surtindo efeito na perda de peso no longo prazo, mas a indústria prefere que os consumidores acreditem que foi um problema de sua “força de vontade” ao invés da ineficácia do produto ou serviço que adquiriram.
Temos o grande desafio de trabalhar o estigma da obesidade e a cultura da dieta, incentivando que as pessoas se aceitem e que possam cuidar da saúde com comportamentos saudáveis!

 

Referência:

  1. Rothblum, E. D. (2018). Slim chance for permanent weight loss. Archives of Scientific Psychology6(1), 63.

Leave a Reply

× Como posso te ajudar?